XVII MOSTRA E X CONCURSO NACIONAL DE VIOLÃO

FRED SCHNEITER

foto_fred.jpg


FRED SCHNEITER: 60 ANOS

 

A Mostra e Concurso Nacional de Violão Fred Schneiter já fazem parte dos eventos tradicionais do cenário violonístico da América Latina. A primeira edição do Concurso aconteceu em 2002, mas desde 2004 o evento acontece ininterruptamente. A Mostra acontece anualmente e o Concurso bienalmente. Neste ano, além da homenagem aos 60 anos de Fred Schneiter o evento homenageia os 80 anos do compositor carioca Ricardo Tacuchian, importante nome para o violão brasileiro por sua significativa obra para o instrumento e peça fundamental para o ingresso do violão no curso de ensino superior da UNIRIO e UFRJ, ao lado de Turíbio Santos. Teremos nesta edição da Mostra duas estréias de importantes obras: a Sonata para Violão (2018) de Ricardo Tacuchian, por Mário da Silva, e a estréia dos 20 Estudos Populares Brasileiros de Geraldo Vespar, por Paulo Martelli.

 

Com a criação do grupo informal intitulado Amigos da Mostra, em 2006, cujas doações viabilizam a realização da Mostra e do Concurso, temos sempre como convidado um violonista da América Latina com a intenção de concretizar um intercâmbio tão fundamental para o desenvolvimento do violão brasileiro. Este ano receberemos a violonista argentina Mirta Alvarez, grande divulgadora do violão da música argentina e reconhecida internacionalmente. Do Brasil, teremos a presença de destacados violonistas, como Paulo Martelli, Mário da Silva, Fábio Adour, Paulo Pedrassoli, Luis Carlos Barbieri e o Duo Mário Ulloa (violão) e Daniel Guedes (violino).

 

Em 2019, Fred Schneiter estaria completando 60 anos. Nascido em Salvador (Bahia), ele foi para o Rio de Janeiro, aos 21anos, para dar seguimento aos seus estudos de violão com Lula Perez e, no Bacharelado em Violão na UNIRIO, com Turíbio Santos. Em apenas duas décadas dedicadas ao instrumento, colocou seu nome no seleto grupo de violonistas compositores e é, sem dúvidas, um dos mais destacados nomes de sua geração nesta categoria. Como concertista, atuou no Duo Barbieri-Schneiter (violões) realizando concertos nas principais Salas e séries musicais do Brasil, além de concertos em festivais na Europa e América Latina. O Duo lançou 3 Cds com um repertório amplo, sempre com arranjos, transcrições e composições originais, dedicados tanto à música de Vivaldi, Scarlatti e Piazzolla, quanto às composições de Garoto, Dilermando Reis e João Pernambuco. Em 2018, foi lançado o quarto CD do Duo Barbieri-Schneiter Memória: Bach e Mozart - Arquivo ao vivo. São concertos ao vivo realizados pelo Duo entre 1988 e 1993, na Sala Cecília Meireles, Auditório Guiomar Novaes (anexo da Sala) e no Auditório da Aliança Francesa da Tijuca, todos no Rio de Janeiro.


Fred Schneiter faleceu prematuramente, aos 41 anos, em 05 de maio de 2001, deixando um precioso legado de composições principalmente para violão solo e duos de violões. Sua obra está repleta de recordações de sua tão amada Bahia, seja nos títulos ou nos temas musicais. Artista plural, seus poemas também estão repletos de lembranças e citações baianas. Nada mais apropriado que nesta edição o encerramento seja no MAB, Salvador/ Bahia, onde o Duo Barbieri-Schneiter, realizou seu primeiro concerto em terras soteropolitanas, no dia 14 de dezembro de 1987. Um curioso jogo de palavras: Mab era o nome da mãe de Fred, curadora de uma Galeria de Artes na Pituba e sem dúvidas, a principal incentivadora do Duo Barbieri-Schneiter.